Veja 4 coisas que você não deve fazer se você tem síndrome do pânico

Escrito por Dr. Caio Magno

Categorias:
O que ocorre geralmente é que inadvertidamente essas pessoas ao buscarem reduzir a frequência de crises de ansiedade as intensificam. Pasmem, no intuito de se verem livres das crises aumentam a frequência delas. E o que vocês não devem fazer que prejudica o quadro de pânico?

Pânico ou Sd do pânico é um quadro clínico da psiquiatria que se apresenta com crises recorrentes de ansiedade. Nas crises os pacientes apresentam ansiedade intensa, medo de morrer, dor no peito, falta de ar, sensação de garganta fechando, tremores e formigamento. Apesar de esses sintomas serem os mais típicos, a apresentação pode ser bastante variada.

A pessoa que apresenta pânico se sente muito aflita e receosa diante dessas crises e teme apresentar outras. O que ocorre geralmente é que inadvertidamente essas pessoas ao buscarem reduzir a frequência de crises de ansiedade as intensificam. Pasmem, no intuito de se verem livres das crises aumentam a frequência delas. E o que vocês não devem fazer que prejudica o quadro de pânico?

1.Controlar a ansiedade

 

Alguns devem se assustar. “Como assim não vou querer controlar?”. É claro! Na literatura científica se observa que controlar ansiedade gera mais ansiedade. Buscar afastar os sentimentos ruins os traz mais para perto. Quando alguém está triste com algo adianta você falar para não ficar?. Qual é a reação sua quando se termina um relacionamento e um amigo busca dizer que você não precisa se sentir assim?”. Invalidar o sentimento não funciona, controlar tampouco.

O contrário do controle é aceitação. E quando digo aceitação não quero dizer passividade, mas reconhecer, sem temer, os sentimentos e emoções, permitir que eles sejam o que são e que venham e vão livremente.

2. Evitar situações relacionadas a crises anteriores

 

É natural que fiquemos apreensivos quando temos uma crise de pânico num determinado local como mercado ou metrô. “Não quero passar por isso de novo. Aquele lugar me faz mal!”. E o que acontece? A pessoa passa a evitar esses locais e tem mais crise. Agora no trabalho e em casa, além da restrição que isso traz na vida.

A literatura psicológica mostra que a pessoa que tem pânico e é mais evitativa apresenta ainda mais crises ou o tratamento tem evolução pior.

3. Minimizar o problema e não tratar

 

Se você apresenta pânico busque uma avaliação. Existe tratamento com medicação e também psicoterapia eficaz para tanto, e não costuma ser complicado.

4. Se você estiver tomando medicação tome direito

 

Um dos maiores erros dos pacientes nos tratamentos de pânico e outros quadros psiquiátricos é interromper a medicação muito cedo ou tomar irregularmente. O resultado é prolongar a duração dos sintomas e aumentar a chance de cronificação.

Em resumo, se tem pânico trate. Não fuja da ansiedade e nem busque neutralizá-la a qualquer custo. O aprendizado é lidar e permitir emoções difíceis. Isso pode tornar sua vida mais rica.

Artigos Relacionados

A Positividade também é importante

A Positividade também é importante

A positividade é importante como a negatividade. A última leva à proteção, ajustes, reflexão. E o pensamento positivo ao engajamento e crescimento. Gente negativa é desagradável, intoxica o ambiente. Buscar elementos positivos na vida e combustível para o crescimento...

ENtre em contato

COnsultas e sessões

Email

contato@drcaio.com

Consultório

Alameda dos Maracatins 1217, Ed Superia, conjunto 912, Moema, São Paulo, SP
Cep 04089-014

Segunda - Sexta

8:00 - 20:00