Paranoia

Escrito por Dr. Caio Magno

Categorias:
Bom tema para filmes. Quem nunca assistiu a Ilha do Medo de Scorcese? O delírio, a paranoia, é um tema extremamente cativante. Foge completamente da realidade e atinge o telespectador. E o que de fato seria isso? Do ponto de vista da psiquiatria, quando falamos em paranoia, nos referimos a um quadro específico da esquizofrenia

Bom tema para filmes

Bom tema para filmes. Quem nunca assistiu a Ilha do Medo de Scorcese? O delírio, a paranoia, é um tema extremamente cativante. Foge completamente da realidade e atinge o telespectador. E o que de fato seria isso?
Do ponto de vista da psiquiatria, quando falamos em paranoia, nos referimos a um quadro específico da esquizofrenia. Num termo da área seria esquizofrenia paranoide. Por que me deu a telha escrever sobre isso? Na verdade meu desejo não é falar sobre o quadro psiquiátrico em si, mas refletir sobre o sintoma base dele.

O núcleo é o delírio paranoide

A paranoia tem como principal elemento o delírio paranoide, ou seja, pensamentos  com um conteúdo bem estruturado que não se referem à realidade. E o delírio nada mais é do que pensamentos sem base na realidade, e que independente das evidências demonstradas se mantêm.
Quando reflito sobre a definição de delírio, penso na normalidade, no que é fronteiriço e na doença. É normal ter um pensamento paranoico? Provavelmente a expectativa é de ver na resposta um NÃO, mas sabia que é normal em contextos específicos? Por exemplo, se você está numa rua escura e deserta, em uma região perigosa e surgem vários pensamentos de que pode ter alguém perigoso e que vai ser assaltado, seria natural? 

Personalidade paranoide

Acredito que o exemplo seja bem claro quanto a isso. O sintoma fugaz num contexto específico é normal, mas a rigidez e a falta de contexto falam a favor da doença.
Não se engane que a paranoia existe somente na esquizofrenia. Existem quadros diferentes em que desconfiar e acreditar que é perseguido faz parte da personalidade da pessoa e chamamos isso de transtorno de personalidade paranoide. Essas pessoas acabam sendo funcionais, se tornam engenheiros, médicos, dentistas e políticos. Vivem em função da desconfiança. Se sentem ameaçados facilmente e enxergam complô em quase tudo. O problema desse tipo de quadro é que as pessoas confundem isso com jeito de ser. “É o jeito dele ser assim”. Imagine só se você trabalha em uma empresa e o seu chefe é desse jeito. Quantos problemas não surgem a partir disso, demissões, intrigas, ameaças? 
E se seu governador fosse desse jeito? Imagine o impacto na sua vida e na de todos, sento tutelado por uma pessoa que não busca tratamento.

Os filmes são fantásticos na representação, e me refiro a fantasia. Não coloco como elogio. Não se referem à realidade tal como ela é, dos problemas psiquiátricos, na forma como são representados. A caracterização é completamente distorcida para trazer o suspense. Os sintomas paranoides são mais frequentes do que imaginamos tanto na forma de normalidade, doença, como a esquizofrenia ou como funcionamento de personalidade do transtorno de personalidade paranoide.

Artigos Relacionados

A Positividade também é importante

A Positividade também é importante

A positividade é importante como a negatividade. A última leva à proteção, ajustes, reflexão. E o pensamento positivo ao engajamento e crescimento. Gente negativa é desagradável, intoxica o ambiente. Buscar elementos positivos na vida e combustível para o crescimento...

ENtre em contato

COnsultas e sessões

Email

contato@drcaio.com

Consultório

Alameda dos Maracatins 1217, Ed Superia, conjunto 912, Moema, São Paulo, SP
Cep 04089-014

Segunda - Sexta

8:00 - 20:00